Anterior

Vereadores de Americana aumentam os próprios salários em 7,3%

02/04/2015

Anterior

Próxima

Americanense é pódio em corrida de Rio Claro

02/04/2015

Próxima
02/04/2015 - 09:36
Cidades da região se unem e criam Comitê de Combate à Dengue

Secretários de Saúde das quatro cidades se reuniram para trocar experiências e discutir ações conjuntas de combate à doença; documento será encaminhado à Sucen


O combate e prevenção à dengue ganhou status regional e será tratado de forma conjunta entre as Secretarias de Saúde de Nova Odessa, Americana, Sumaré e Santa Bárbara d'Oeste. Representantes dos quatro municípios se reuniram nesta quarta-feira (01) para discutir as ações realizadas para evitar proliferação do mosquito Aedes aegypti e formaram o Comitê Intermunicipal de Combate à Crise da Dengue. Um documento sobre os trabalhos feitos será encaminhado à Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) da Secretaria de Estado da Saúde. A expectativa do grupo é se reunir mensalmente para troca de experiência e debate de iniciativas.

O encontro aconteceu no anfiteatro da Prefeitura de Nova Odessa e contou com participação do prefeito de Nova Odessa, Benjamim Bill Vieira de Souza, do secretário de Saúde de Nova Odessa, Sérgio Molina, do diretor da Vigilância em Saúde da cidade, Manoel Messias, do secretário de Saúde de Santa Bárbara d'Oeste, Dreison Iatarola, da secretária de Saúde de Americana, Mirella Povinelli, e da secretária de Saúde de Sumaré, Fauzia Raiza. Além dos secretários, participaram diretores e funcionários das Secretarias e Vigilâncias de Saúde das quatro cidades.

Bill destacou a importância da dengue ser tratada de forma conjunta. “O mosquito não conhece fronteiras. Precisamos buscar mecanismos e soluções para combater a dengue de forma conjunta”, disse, ressaltando que em Nova Odessa os números não estão tão alarmantes quanto outros municípios da região devido ao trabalho de prevenção realizado desde 2014. “Temos desenvolvido um trabalho muito rígido em relação a dengue com arrastões, bloqueios e conscientização”, disse.

Secretário de Saúde da cidade, Sérgio Molina destacou a importância da criação do comitê e, em especial, da padronização das ações. “Certamente realizaremos outras reuniões para ver as ações que estão dando certo e, quem sabe, implementá-las de forma regional”, disse.


PROBLEMA CONJUNTO – Durante o encontro, os secretários das quatro cidades debateram diversos problemas e soluções para o combate à dengue, entre elas dificuldades para bloqueios químicos em imóveis fechados, descentralização do atendimento dos pacientes nos hospitais e ações de conscientização.

Diretor da Vigilância em Saúde, Messias destacou as ações realizadas em Nova Odessa como arrastões e também os bloqueios químicos, mas defendeu também que o tema seja debatido de forma a conscientizar os moradores. Neste aspecto, ele falou, junto da coordenadora do IEC (Informação, Educação e Comunicação) da Vigilância, Célia Maria Mometti Betini, sobre o projeto de conscientização de crianças que teve início na semana passada na cidade. Através da iniciativa, uma Kombi adaptada é levada às escolas para que as crianças possam ter mais informações sobre a dengue. O veículo conta com microscópio e amostras do mosquito Aedes aegypti em todas as suas fases. O projeto tem como objetivo chamar atenção das crianças para que sejam agentes multiplicadores das informações em casa e ajudem a conscientizar a população sobre a importância da prevenção da doença, por meio da eliminação dos criadouros. A ação, que será realizada com alunos do 3º ano do Ensino Fundamental que estudam nas escolas públicas, atingirá 3.000 crianças.

Ao final do encontro, os secretários definiram que farão um documento sobre as ações já realizadas nas cidades e outras iniciativas conjuntas que podem ser tomadas. O documento será encaminhado para a Sucen e deve, entre outras coisas, auxiliar para liberação de verbas para o combate à dengue.






Link:





Deixe seu Comentário


Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.