Anterior

Dr. José apela ao Governo do Estado para viabilizar Bom Prato para Santa Bárbara

11/03/2016

Anterior

Próxima

Presença da torcida é a salvação do União para pagar salários dos atletas

11/03/2016

Próxima
11/03/2016 - 12:37
Maestro João Carlos Martins, Orquestra e Coral se apresentam em Sumaré dia 18


Uma grande apresentação cultural gratuita aguarda o público de Sumaré na noite do próximo dia 18 de março, sexta-feira. Em apresentação promovida pela Prefeitura de Sumaré, por meio das secretarias municipais de Desenvolvimento Econômico e de Esporte, Cultura e Lazer, com o apoio da Associação Pró-Memória de Sumaré e o patrocínio da Honda South America, os músicos da Orquestra Bachiana Filarmônica SESI-SP, sob a regência do maestro João Carlos Martins, e o 
Coral Pio XI, com regência do maestro Oswaldo Urban, farão um grande concerto a partir das 19 horas, no salão principal da Igreja Matriz de Sant’Ana, Região Central de Sumaré.

Os organizadores do evento ressaltam que esta será uma apresentação cultural totalmente gratuita, voltada para o público sumareense de todas as idades, viabilizada por meio do Proac (Programa de Ação Cultural) do Governo do Estado de São Paulo, sem caráter religioso. O salão da Igreja Matriz foi escolhido para a apresentação pela capacidade de acomodar o grande público e também pela acústica do local.

Às 19 horas, o Coral Pio XI dará início às apresentações da noite, tendo à frente o maestro Oswaldo Urban. Fundado há 65 anos por um grupo de 15 marianos, o coral incorporou em seu repertório canções de Carlos Gomes e outros compositores. Coincidentemente, o maestro Oswaldo Urban é um dos autores do Hino oficial de Sumaré.

A partir das 20 horas, a Orquestra Bachiana Filarmônica SESI-SP fará sua segunda apresentação na cidade. A primeira foi em maio de 2015, dentro da programação do “Mês do Trabalhador” de Sumaré. Na oportunidade, o maestro elogiou a parceria entre a iniciativa privada e o Poder Público em prol das Artes. 


Quando João Carlos Martins iniciou o projeto de criação de uma orquestra com apoio apenas com a iniciativa privada, muitos duvidaram, mas, desde sua fundação em 2004, o grupo já soma mais de mil apresentações nos principais teatros do Brasil e do mundo.

• MAESTRO JOÃO CARLOS MARTINS


Símbolo de superação e talento, João Carlos Martins é considerado um dos maiores intérpretes de Johann Sebastian Bach. Iniciou seus estudos de piano aos oito anos e, aos onze, começava sua carreira no Brasil. Aos dezoito anos, já estava tocando no exterior.


Teve como um dos pontos altos de sua carreira a gravação da obra completa de Bach para teclado. Por problemas físicos – ele já passou por mais de 20 cirurgias nas mãos - abandonou os palcos como pianista no ano de 2002, mas não deixou a música de lado e retornou em 2004 como maestro. Hoje, aos 74 anos, é regente e diretor artístico da Bachiana Filarmônica do SESI-SP.

• MAESTRO OSWALDO URBAN


O maestro Urban, hoje com 97 anos, foi um dos fundadores do Coral Pio XI, há 65 anos, na cidade de Campinas. “Reunimos um grupo de 15 marianos e começamos o treinamento para interpretar, em latim, músicas eclesiásticas”, conta.


Nos dois primeiros meses, Urban atuou como cantor. “Depois de dois meses, assumi interinamente a batuta, para ficar apenas um tempo. Estou até hoje”, brinca. Com o passar do tempo, o coral incorporou canções de Carlos Gomes e outros compositores.

Um dos autores do Hino oficial de Sumaré, Oswaldo Urban nasceu em 1919 na cidade paulista de Leme. Com seis anos de idade já tinha perdido o pai e a mãe. Acabou sendo criado pelos irmãos mais velhos, que lhe ensinaram os rudimentos musicais, influenciados pelos pais, que eram músicos. Este incentivo levou-o a frequentar o Conservatório Musical Maestro Julião, de São Paulo, e a participar de um aperfeiçoamento em Nápoles, na Itália. 


Em Campinas, no começo de sua carreira musical, aprendeu a reger com o maestro Salvador Bove. Tinha 14 anos quando usou, pela primeira vez, a batuta de maestro. Daí em diante não parou mais. Hoje, com 96 anos, continua regendo dois corais. 


Paralelamente às atividades musicais, Oswaldo graduou-se em Filosofia, Direito e Orientação Educacional pela PUC Campinas, onde lecionou por 18 anos, dirigindo a Faculdade de Música e o Instituto de Artes e Comunicação.






Link:





Deixe seu Comentário


Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.