Orquestra de Violeiros Mirins se renova e mantém atividades em Nova Odessa

Por Roberto 04/01/2018 - 17:04 hs

Orquestra de Violeiros Mirins se renova e mantém atividades em Nova Odessa
Violeiros Mirins de Nova Odessa



Grupo com 75 estudantes resgata música sertaneja ‘raiz’ e proporciona a musicalização



Criada em 2013, a Orquestra de Violeiros Mirins de Nova Odessa funciona através de parceria da Prefeitura com patrocínio da empresa Profil. Atualmente são 75 alunos da Emefei (Escola Municipal de Ensino Fundamental e Educação Infantil) 'Prefeito Simão Welsh', no Jardim Santa Rita 2, que frequentam aulas gratuitas e aprendem a musicalização. Este ano foram 35 novos integrantes no grupo, mantido pela Secretaria Municipal de Educação através da renovação constante.



Tendo principalmente estudantes dos 4º e 5º anos do ensino fundamental, a Orquestra de Violeiros Mirins foi criado em março de 2013 com o objetivo de resgatar a música sertaneja de raiz e contribuir para o crescimento cultural dos alunos da cidade. “É um projeto do prefeito (Benjamim) Bill (Vieira de Souza) com apoio da Profil”, resume o secretário-adjunto de Educação, Achille Nicola Fosco.



Com 10 apresentações ao longo deste ano, o grupo busca a continuidade para 2018. “Todo início de ano ocorre uma renovação, com a saída de parte dos alunos que completou o 5º ano e, por um motivo ou outro, não continua. Assim como o ingresso de novos membros”, explica. “Existe uma reciclagem natural”, reforça o secretário-adjunto. O grupo possui sede própria em um prédio localizado no Jardim Eneides.



“A Profil acreditou no incentivo para esse projeto cultural-educacional e não tem medido esforços para apoiar a iniciativa, com acompanhamento, incentivo às crianças e avaliações constantes”, acrescenta Nicola Fosco. “Exceto pela aquisição dos equipamentos, a Administração Pública não tem custos de manutenção”, completa. As aulas ocorrem em períodos da manhã e tarde, no contra turno escolar.



A maestra da Orquestra de Violeiros Mirins, Iara Zalla, destaca a evolução dos jovens músicos, que inclusive já se apresentaram com a Banda Sinfônica Municipal 'Professor Gunars Tiss'. “Estamos agregando diversidade ao trabalho feito com os jovens”, cita. Além do sertanejo tradicional, dito “raiz”, tem incorporado elementos do estilo chamado “universitário” e mais romântico ao repertório dos jovens músicos.