Mude suas atitudes!

Por Maristela Negri 07/11/2018 - 18:14 hs
Mude suas atitudes!
Maristela Negri Marrano é sócia diretora do Centro de Longevidade e Atualização de Piracicaba (Clap)

 

Imagine-se sentado (a) na beira de um lago, observando o banho do bem-te-vi. Ele simplesmente se entrega ao momento e após um voo rasante depara-se com a água. Aproveita o instante presente, não reclama se a água está fria ou quente demais, simplesmente se banha.

    

A natureza nos ensina que o agora alimenta as experiências do que vem a seguir. Seja o que for que acreditamos, isso vira verdade para nós. Criamos determinados padrões de pensamentos, os quais se tornam a nossa realidade e, às vezes, ela é pautada em lamentações, reclamações, vitimizações, pessimismo perante a vida.

 

Wallace Liimaa, coaching quântico, nos alerta: “Se o seu canal mental está na frequência da reclamação e da vitimização, você vai continuar atraindo situações e experiências para a sua vida que vão reforçar esse padrão. A ciência comprova que atraímos para a nossa vida aquilo que somos e acreditamos”.

 

E aí afirmamos e cantamos Dorival Caymmi: “Eu nasci assim, eu cresci assim, eu sou mesmo assim, vou ser sempre assim...”. Nos acomodamos e não queremos sair da zona de conforto e nossa mente continua na frequência da reclamação e da vitimização, concentrando toda a atenção em olhar para o problema em vez de olhar para a solução. Sintonize sua mente em soluções e acredite: elas, de fato, são possíveis.

 

John Milton, poeta e intelectual inglês, já dizia: “A mente é um lugar em si mesma, e em si mesma pode fazer do céu, um inferno, e do inferno, um céu.” Pois bem, creio que todos nós preferimos fazer de nossa mente um céu. Para tanto, faz-se necessário ter consciência dos nossos padrões de pensamento e ciência de que os mesmos podem ser mudados, graças à neuroplasticidade (capacidade do cérebro de se adaptar a novas situações) e a neurogênese (nascimento de novos neurônios).

 

Então, o que fazer? Treine sua mente para criar novos hábitos, desenvolva uma atitude proativa e otimista perante a vida, saindo das reclamações, lamentações e vitimizações. Desapegue de verdades pré-concebidas, pois é em nossa própria mente que as mudanças acontecem. Já falava Gandhi: “Seja a mudança que você quer ver no mundo”. Queria dizer que a mudança começa dentro de cada um de nós!

 

Convite para hoje: Mude a forma predominante como pensa e se abra para as infinitas possibilidades!

 

Gratidão!      

           

Maristela Negri Marrano é sócia diretora do Centro de Longevidade e Atualização de Piracicaba (Clap), pós-graduada em Neurociências aplicadas a Longevidade (UFRJ) e mestre em Educação Física pela (Unimep). E-mail:maristela@centroclap.com.br