Nossa tão adorada Esalq

Por Alessandra Cerri 05/06/2019 - 11:15 hs
Nossa tão adorada Esalq
Alessandra Cerri é professora e sócia-diretora do CLAP

 

Nossa Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (Esalq) está completando, nesta semana, 118 anos. Desde o seu nascimento, a instituição vem construindo uma história admirável, deixando um legado inestimável, passado de geração em geração.

 

Nós, piracicabanos, quando caminhamos pelo belíssimo campus da Esalq, contemplamos a imponência do prédio central. Quando observamos os inúmeros departamentos, representados por diferentes casas, talvez não tenhamos a dimensão da magnitude dessa escola. Talvez não tenhamos noção da importância mundial que essa universidade ganhou, pois temos a cultura de achar que o galo do vizinho canta melhor.

 

Pois bem, a Esalq figura no Top 5 do ranking mundial de universidades, entre as Ciências Agrárias. É tida como a pioneira e líder no agronegócio, setor que mais contribui para o desenvolvimento do País, e que se manteve em crescimento mesmo em tempos de crise.

 

Para se ter uma ideia, a Esalq forma uma média de 300 estudantes por ano. Já formou mais de 10 mil mestres e doutores, e mantém convênios com diversos países. Por aqui, passam pessoas de várias partes do mundo em busca desse conhecimento científico de excelência, o qual ajuda diretamente na melhora e no aumento da produção de alimentos.

 

Quando observamos os alunos da Esalq - os esalquianos - vestindo seus chapéus e suas botas, cheios de orgulho e admiração, podemos não compreender; mas eles, enquanto estudantes, sabem que estão tendo o privilégio de cursar uma das melhores faculdades do mundo.

 

Há 118 anos, o grandioso e visionário Luiz de Queiroz doou mais de três mil hectares de suas terras com a condição de que fossem usados para produzir conhecimento. Talvez, naquela época, ele nem imaginasse o quanto essa exigência seria levada a sério e de maneira tão admirável.

 

Enquanto piracicabana, parabenizo a todos os professores, funcionários e estudantes que contribuem diretamente para que essa escola se mantenha tão linda, imponente e cumpridora de sua mais nobre missão, citada inclusive em seu hino: “Plantar, cultivar, conservar. A Esalq existe para ensinar”.

 

Nossa cidade tem um imenso orgulho da história exemplar escrita pela nossa tão adorada Esalq. Que Ceres, deusa do cereal, continue a inspirar essa trajetória que faz parte de nosso patrimônio nacional.

 

Alessandra Cerri é sócia-diretora do Centro de Longevidade e Atualização de Piracicaba (CLAP), mestre em Educação Física, pós-graduada em Neurociência e pós-graduanda em Psicossomática.