Não ao fim das cotas para deficientes!

Por Luciano Domiciano 06/12/2019 - 11:27 hs
Não ao fim das cotas para deficientes!
Luciano Domiciano é jornalista


Os governos me decepcionam há muitos anos, independente de seu matiz ideológico. Mas, alguns disparam na frente na capacidade de piorar o que já não é bom. Há poucos dias o atual Governo enviou ao Congresso Nacional Projeto de Lei que desobriga as empresas de cumprir cota para trabalhadores com deficiência.


Uma grande parte das famílias brasileiras tem ou teve uma pessoa com deficiência. Por mais lúdica  que  a situação seja tratada, definitivamente não é fácil. Um dos pilares para a família ter força é o objetivo da inclusão social do deficiente. Neste sentido, a política de cotas nas empresas é de importância indiscutível.


A partir de 2015 quando as regras em vigor foram definidas a situação começou a melhorar. Hoje estima-se que perto de 500 mil brasileiros com deficiência estão ocupados profissionalmente. Estão saindo de casa orgulhosos de exercerem uma atividade. Estão recebendo um pequeno salário, que ajuda na modesta economia do lar e coloca sua auto estima nas alturas. Estão se sentindo incluídos numa sociedade excludente.


As cotas são importantes, pois representam uma ação afirmativa e positiva em prol do deficiente. Acabar com elas é grave. É dizer não precisamos de vocês. É voltarmos a encaixotar o deficiente em quatro paredes.


O Projeto de Lei diz que a empresa que não cumprir com as cotas poderá pagar uma compensação financeira (uma “taxa”), depositando-a numa determina Conta Corrente do Governo. E aí, diz o Governo, o dinheiro arrecadado será utilizado para programas de reabilitação física e profissional. Mesmo que isso ocorresse o dano já estaria causado. Mas nem no uso deste recurso para os tais programas, eu acredito.


É esperar que o Congresso Nacional diga não a este Projeto absurdo. Mas aí também não dá para acreditar!

Luciano Domiciano

(Jornalista)