Du Cazellato, do PSDB, é o novo prefeito em eleição suplementar de Paulínia

Por Roberto 01/09/2019 - 19:11 hs

Du Cazellato, do PSDB, é o novo prefeito em eleição suplementar de Paulínia
Vereador Du Cazellato é eleito prefeito de Paulínia

Du Cazellato, do PSDB, foi eleito prefeito de Paulínia (SP) neste domingo (1) em eleição suplementar. O candidato teve 13.119 votos, o equivalente a 26,99% dos votos válidos. O segundo lugar foi ocupado por Nani Moura (MDB), que recebeu 11.211 votos, 23,06%.

O novo vice-prefeito é Sargento Camargo, do PSDB. A diplomação do prefeito e do vice eleitos ocorre no dia 4 de outubro.

A cidade tem 73.128 eleitores e 54.443 compareceram às urnas.

Veja abaixo o resultado da eleição com 100% dos votos apurados:

1 - Du Cazellato (PSDB): 13.119

2 - Nani Moura (MDB): 11.211

3 - Tuta (PPS): 9.485

4 - Loira (DC): 5.535

5 - Capitão Cambui (PSL): 4.361

6 - Coronel Furtado (PSC): 1.913

7 - Ângela Duarte (PRTB): 1.212

8 - Custódio Campos (PT): 1.054

9 - Barros (PSOL): 723

Votos brancos: 2.130 (3,91% do total)

Votos nulos: 3.700 (6,80% do total)

Abstenções: 18.685 (25,55% do total)

Votos válidos: 48.613 (89,29% do total)

Administração interina

Desde novembro de 2018, o município está com administração interina após a cassação de Dixon Carvalho (PP) e Sandro Caprino (PRB) por abuso de poder econômico em 2016.

O vereador Antônio Ferrari (DC), conhecido como Loira, exerce o cargo de prefeito de Paulínia desde janeiro. Ele foi eleito presidente da Câmara e reivindicou o cargo de chefe do Executivo, que era ocupado por Du Cazellato (PSDB) desde novembro do ano passado.

Desde 2013, Paulínia vive em instabilidade política e teve 12 trocas de prefeito.

Quem é Du Cazellato?

Ednilson Cazellato, conhecido como Du Cazellato, tem 48 anos e é vereador em Paulínia (SP). De acordo com informações da Câmara Municipal, ele nasceu e foi criado na cidade. É casado, pai de dois filhos e empresário. Sua família é de comerciantes tradicionais no município.

Atualmente, Cazellato exerce seu segundo mandato como vereador. Foi eleito pelo PSDB em 2016 e ficou como presidente da Câmara entre janeiro de 2017 e novembro de 2018. No período à frente do Legislativo, promoveu cortes, reduzindo gastos com água, energia, manutenção do ar-condicionado, aluguel de máquinas copiadoras e linhas telefônica.

Em seu primeiro ano, devolveu R$ 4,6 milhões aos cofres do Executivo, segundo a Câmara. Como prefeito interino de Paulínia, ficou no cargo por cerca de 75 dias.

Neste domingo, acompanhou a apuração na sede do partido. O resultado foi recebido por ele e sua equipe com muita festa e fogos 

Votação com chuva

Votação começou com chuva às 8h e terminou às 17h. Alguns eleitores preferiram ir às escolas no primeiro horário, gerando filas nos portões. Foram exercer o direito em busca de melhorias para a cidade de Paulínia.

"Que tudo melhore pra todo mundo, que a pessoa que ganhar use bem os recursos públicos, educação, saúde, segurança", afirma Adalto Duarte, coordenador administrativo.

"Paulínia está precisando, né. É uma cidade que está praticamente... Tem potencial, mas está bem descuidada.[...] É muito inconstante. A gente como cidadão tem que exercer um direito que é nosso, de votar e escolher quem vai ficar no poder", diz a comerciante Thays Valini.

De acordo com o Cartório Eleitoral de Paulínia, três urnas apresentaram problemas e precisaram ser substituídas na parte da manhã.

Outra urna teve uma alteração na data e na hora do equipamento, mas o conserto foi feito no local. Ao todo, 203 seções receberam os votos da população.

Ao todo, Paulínia tem 22 colégios eleitorais, sendo a Escola Estadual Padre José Narciso Vieira Ehrenberg o maior deles, com 15 seções e 5,6 mil eleitores. O eleitor que deixou de votar poderá justificar a ausência até o dia 31 de outubro em uma das zonas eleitorais.

Fonte: G1