Polícia Civil e Gaeco fazem operação Sheik na região de combate ao tráfico de drogas

Por Roberto 10/09/2019 - 12:20 hs

Polícia Civil e Gaeco fazem operação Sheik na região de combate ao tráfico de drogas
Polícia Civil e Ministério Público na Operação Sheik na região

Na manhã desta terça-feira,  (10/9)  o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e a Polícia Civil do Estado de São Paulo (DEINTER 9 – Piracicaba) deflagraram a Operação Sheik, voltada ao combate a uma extensa organização criminosa dedicada ao tráfico de drogas, corrupção, lavagem de dinheiro, dentre outros delitos, com atuação predominante em Capivari.

Sheik é uma referência à forma como é conhecido um dos chefes da organização criminosa ora debelada, tido como o maior traficante de Capivari, com ramificações nos municípios de Rafard, Rio das Pedras, Americana, Santa Barbara d’Oeste e Hortolândia.

De acordo com o MP, há anos, Sheik e um extenso grupo de pessoas por ele comandadas, inclusive membros de sua família, dominam e comandam o tráfico de drogas em diversos bairros de Capivari.

Eles compõem uma rede de atuação coordenada e estruturada, com divisão de funções e áreas territoriais de atuação bem definidas, contando com inúmeros pontos de tráfico de drogas sob seu controle e comando, além de diversos estabelecimentos comerciais e outras atividades organizadas para dar vazão aos recursos obtidos com a traficância, tais como loja de roupa, lava-rápido, lanchonetes, restaurantes, eventos musicais, dentre outros.

Dentre os integrantes da organização criminosa comandada por Saulo Sheik estão pessoas com extenso histórico de envolvimento criminal, incluindo homicídio, tráfico de drogas, roubo e associação para o tráfico, além de alguns integrantes da organização criminosa conhecida como PCC.

A operação é resultado de um longo, cuidadoso e detalhado trabalho de investigação desenvolvido pelo Gaeco e pela UIP – Unidade de Inteligência da Polícia Civil junto ao DEINTER 9 – Piracicaba, envolvendo diligências de campo, acompanhamento e observação, levantamento de dados, afastamento de sigilo telefônico, telemático, bancário e fiscal, tendo resultado na identificação de aproximadamente 45 (quarenta e cinco) pessoas, entre integrantes e apoiadores da organização criminosa.

Na data de hoje foram cumpridos 68 mandados de busca e apreensão e 29 de prisão preventiva.

Para realização dos trabalhos, a Polícia Civil destacou 160 policiais civis, parte dos quais compuseram 45 equipes destinadas ao cumprimento dos mandados judiciais, coordenadas por 12 delegados de Polícia, incluindo os delegados Diretor do DEINTER 9 e da Unidade de Inteligência Policial, além de inúmeros agentes, investigadores e escrivães de polícia.

Foi destacado também o SAT – Serviço Aerotático (helicóptero) da Polícia Civil, conhecido como “Pelicano”, que sobrevoou Capivari e região durante todo o desenvolvimento dos trabalhos, contribuindo para sua conclusão de forma segura e eficaz.

Além das prisões preventivas já decretadas, foram cumpridos hoje prisões em flagrante, em razão do encontro de drogas.

Além das drogas, foram apreendidos hoje também celulares, balanças de precisão e documentos.

Foi ainda decretada a indisponibilidade de 17 veículos, alguns dos quais foram apreendidos e encaminhados ao pátio do Detran.

Ao longo das investigações restou apurado que estes veículos eram de propriedade de integrantes da organização criminosa e que vinham sendo utilizados constantemente para os interesses criminosos do grupo, principalmente para recolhimento de dinheiro nos pontos de tráfico de drogas.

As investigações prosseguirão para atingir outras frentes de atuação da organização criminosa, principalmente em relação à corrupção de agentes públicos (policiais civis e militares, servidores públicos municipais), lavagem de dinheiro e exploração de jogos de azar.

Com este trabalho o Ministério Público e a Polícia Civil apresentam uma resposta à sociedade que, há anos, reclama uma atuação firme e efetiva contra o tráfico de drogas realizado em de Capivari e proximidades, sendo frequentes e constantes as denúncias anônimas noticiando a atuação do grupo criminoso de Sheik na referida cidade.