Setor onde funcionário morreu na Dedini, em Piracicaba, é fechado para apurar as causas

Por Roberto 09/10/2019 - 12:07 hs

Setor onde funcionário morreu na Dedini, em Piracicaba, é fechado para apurar as causas
Empresa onde funcionário morreu enquanto trabalhava

Um funcionário de 30 anos morreu dentro da empresa Dedini, em Piracicaba (SP), na manhã desta terça-feira (8). Segundo o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), ele foi atingido por uma peça quando trabalhava na metalúrgica. A empresa informou que lamenta o ocorrido e que apura a causa do acidente.

O Samu foi acionado por volta das 9h15 para a empresa de fundição, que fica na Rodovia Fausto Santomauro (SP-127). A médica do serviço constatou a morte de Gabriel Aparecido Pereira dos Santos no local. Ainda de acordo com o Samu, o acidente aconteceu após a explosão de uma peça que estava resfriando.

Em nota, a Dedini confirmou que o funcionário trabalhava em um equipamento e informou que está dando assistência aos familiares.

"O empregado recebeu os primeiros atendimentos ainda no local pela equipe do Samu, mas não resistiu e veio a falecer. As causas do acidente estão sendo investigadas. A Dedini lamenta profundamente o ocorrido", diz a nota.

O caso foi apresentado e deve ser investigado no 4º Distrito Policial (DP) de Piracicaba.


SETOR FECHADO

O setor da Dedini Fundição em que o metalúrgico Gabriel Aparecido Pereira dos Santos trabalhava quando foi atingido por parte de uma peça ficará parado para que a causa do acidente seja identificada pela empresa. O homem de 30 anos morreu nesta terça-feira (8) e a empresa fica em Piracicaba (SP).

A informação foi passada pelo Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) e pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Piracicaba, que fizeram uma vistoria no local à tarde.

Segundo o técnico em segurança do trabalho do Cerest Alessandro Nunes de Silva, um rolo metálico de cerca de 15 toneladas trincou em várias partes e uma delas, de duas toneladas, atingiu o trabalhador.

Alessandro explicou que o cilindro foi fundido na sexta-feira (4), resfriou e foi transportado para o setor de acabamento, onde a vítima trabalhava. Gabriel Aparecido Pereira dos Santos estava a cerca de um metro peça quando ela se partiu e uma parte o acertou.

"Um acidente muito complexo. Durante meus 10 anos de experiência, nunca peguei um acidente como esse, que eu saia de uma situação e não consiga dar pelo menos uma informação que seja relacionada ao [motivo do] acidente", disse Nunes.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Piracicaba, Wagner da Silveira, disse que esse setor de acabamento deve ficar fechado pelo menos até sexta-feira (11).

"A gente precisa entender o porquê da trinca, o porquê de quase duas toneladas caírem em cima do trabalhador em uma distância de quase um metro", afirmou Silveira.

O presidente do sindicato afirmou que não há relatos de outro acidente parecido. Segundo ele, trabalhadores contam que algumas peças semelhantes podem apresentar trincas, mas não como a que causou o desprendimento e a projeção contra a vítima.

"Há quase 100 anos fazendo esse procedimento e agora, infelizmente, veio a acontecer isso. Pode ser que fique mais 100 anos da Dedini e não aconteça de novo um acidente igual", disse Silveira.

Fonte: G1