Mulher de 35 anos é morta no Jardim São Francisco e namorado é preso acusado de assassinato

Por Roberto 22/02/2020 - 23:13 hs

Mulher de 35 anos é morta no Jardim São Francisco e namorado é preso acusado de assassinato
Eva Paula de Lima morta aos 35 anos (Imagem Facebook)

Uma mulher de 35 anos foi encontrada morta na manhã deste sábado (22), no Jardim São Francisco, em Santa Bárbara d’Oeste. Eva Paula de Lima morreu na casa dela na Rua Caramurus por volta das 10h. O namorado David Vieira Ferraz da Cruz, também de 35 anos, foi preso suspeito de ter cometido o crime.


A Polícia Militar foi acionada a comparecer na residência e no local encontrou David, que trabalha como monitor e mora no Jardim Santa Fé, seu namorado, que contou que ela havia cometido suicídio. Peritos da Polícia Técnica de Americana estiveram no local e constataram que ela foi assassinada porque apresentava ferimentos na cabeça. Na casa, policiais apreenderam uma faca que provavelmente tenha sido usada no crime. A motivação não foi divulgada.


David foi conduzido até o plantão policial e autuado em flagrante pela autoridade policial acusado de homicídio qualificado. Eles estavam separados e reataram o relacionamento há cerca de duas semanas.  O corpo da vítima foi encaminhado ao IML – Instituto Médico Legal de Americana.


Eva Paula de Lima era filha de Jorge Lopes de Lima e Orentina Paula de Lima e deixa os filhos Beatriz e Oliver. O velório terá início às 12h30 deste domingo (23) e o sepultamento acontecerá às 16h30 do Velório Parque dos Lírios para o Cemitério Parque dos Lírios.

 

ATUALIZANDO

 

Em princípio, era uma averiguação de suicídio pela Rua Caramurus, 380. No local, trata-se de um aglomerado de edículas sendo que no interior de uma delas estava D. visivelmente alterado, relatando que sua amásia apresentava quadro depressivo e que fazia uso de medicamentos controlados. Informou que havia passado a noite com ela e que só percebeu que ela havia morrido por volta das 12h, quando acordou.

 

O Corpo de Bombeiros foi acionado e observou que o já da vítima estava com sinais de morte evidente, rigidez, e a viatura da Polícia Técnico-Científica esteve presente e o perito constatou um corte perfuro- contundente pós traumático por afundamento do crânio da vítima, ou seja, em laudo preliminar por parte da perícia, tratou-se de um feminicídio e não suicídio como alegou o amásio.

 

Foram apreendidas caixas de medicamentos de uso controlado, bem como uma faca de cozinha com a ponta danificada, possivelmente utilizada no crime.

Diante das evidências apresentadas, foi dada voz de prisão ao amásio pela prática do crime de feminicídio, permanecendo preso após os atos cartorários.