Casa do União: Estádio Antonio Guimarães completa 99 anos

Por Roberto 02/06/2020 - 09:56 hs

Casa do União: Estádio Antonio Guimarães completa 99 anos
Estádio do alvinegro barbarense rumo ao centenário


Estádio Antonio Lins Riberio Guimarães rumo ao centenário


Há 99 anos era inaugurado o estádio de futebol do União Agrícola Barbarense localizado à Rua 13 de maio. Em 22 de maio de 1921, o local era chamado de Praça de Esportes e no dia, aconteceu uma partida amistosa entre o time do União Agrícola Barbarense e do Concórdia de Campinas, vencida pela equipe de Santa Bárbara d’Oeste por 3 a 1. Em 1938 (no dia 18 de dezembro - na vitória do União por 2 x 0 sobre a Internacional de Limeira) o campo passou à denominação de "Praça de Esportes Antonio Guimarães" (o seu "patrono" Antonio Lins Ribeiro Guimarães foi o presidente por maior tempo na história do clube). Mais tarde, a "Praça de Esportes" passou a ser chamada de "Estádio".


 A história do time centenário da cidade foi o tema do livro do jornalista esportivo J.J. Bellani que está publicado em formato digital no site do CEDOC da Fundação Romi.

http://fundacaoromi.org.br/fundacao/galeria_publicacao/Rg116228Livro_do_Centenario_do_Uniao_ABFC_16062016093052.pdf

No livro Bellani escreve que antes da inauguração do estádio o time do União Barbarense  já havia utilizado campos em dois outros locais, no centro da cidade: primeiramente na área da Estação de Trem (onde funcionou a FEPASA e hoje Estação Cultural da Fundação Romi) e depois no Largo São Benedito (área onde funcionaram as empresas COFTESBA, Cervone e Campo Belo).


“Este campo, localizado à Rua 13 de maio, a terra foi doada pela Usina Santa Bárbara, solicitada pelo então presidente Antonio Lins Ribeiro Guimarães”, conta JJ Bellani. “ Aos poucos o União fez melhorias, e em 1945 teve sua primeira arquibancada. Por uma tragédia, um raio, ela veio ao chão em 1946. Xisto Sans, presidente na época, em 29 de setembro de 1957 construiu o portal de entrada, que tem até hoje. Por ali, entrava todo mundo. Em 1961, Pedro Recchia construiu o segundo lance de arquibancada, coberta. Depois, foram construídas as cabines de rádio. Me lembro que eram três ou quatro cabines. Em 1967,quando o União subiu para a principal divisão de acesso do Campeonato Paulista, e disputar a vaga para a especial, que é a Elite, a Federação Paulista de Futebol exigiu que fossem construídas mais arquibancadas, e assim foi construída a arquibancada de cimento das gerais, no prolongamento da Rua José Benedito Texeira, no tempo do presidente Casemiro Alves da Silva – Pinguim”, continua o jornalista esportivo.


Mas, os anos passaram e foram necessárias mais ampliações. “Em 1979 para 1980 foi construída novo lance da arquibancada coberta, não do tamanho de hoje onde se encontra o setor das cativas.  Depois, aos poucos foi ampliando. No tempo do presidente Jorge Martins foi construído o primeiro lance. Posteriormente, construiu um lance mais alto e mais largo, terminando com as atuais cadeiras cativas na administração de Roberto Mantovani Filho. Começou pelas cadeiras de cimento, depois foi mudando, até chegar no modelo de hoje. Na década de 70, as arquibancadas laterais eram de madeira, ao lado das cobertas. Depois, cederam os seus espaços para as metálicas, até a construção das metálicas, atrás dos dois gols, inclusive com relocação do gramado, que era mais fundo, onde é parte do clube social, e foi trazido sentido à Rua 13 de maio. E hoje, há arquibancada em todo entorno do gramado do Estádio Antonio Guimarães”, finaliza JJ Bellani.


O União Agrícola Barbarense foi fundado em 22 de novembro de 1914, inicialmente com o nome de União Foot-Ball Club. Ao longo dos anos teve diversos nomes, em 1918, passou a se chamar Athlético Barbarense Foot-Ball Club e, um ano depois, se chamou Sport Club Athlético Barbarense. No ano de 1920, o clube se fundiu com o 7 de Setembro da Fazenda São Pedro e, mais uma vez, alterou seu nome: Sport Club União Agrícola Barbarense. Por fim, ainda naquele ano, passou a portar a denominação que tem até hoje: União Agrícola Barbarense Futebol Clube.

Além de poder ler o livro no site CEDOC da Fundação Romi o público pode também acessar o  banco de dados e realizar pesquisas de fotografias do time do União Barbarense. São mais de 1.000 fotografias com imagens dos times, jogadores, do estádio, entre outras . Acesse:  http://cdoc.fundacaoromi.org.br/

Fotos:  http://fundacaoromi.org.br/fundacao/fundacao-romi/sala-imprensa/343

Sobre o CEDOC

O Centro de Documentação Histórica da Fundação Romi é um espaço vivo de preservação da história, que além de resgatar todo o passado histórico de Santa Bárbara d'Oeste e região, atua na guarda, conservação e disponibilização do acervo da Fundação Romi e da Indústrias Romi – com destaque para o acervo do Romi-Isetta. Além de um espaço expositivo vivaz e dinâmico, o CEDOC realiza o projeto de Educação Patrimonial para crianças e adolescentes, realiza o Processamento Técnico de todos os documentos recebidos e ainda recebe exposições e palestras, promove visitas monitoradas e técnicas, oficinas de capacitação e experimentação. O CEDOC está localizado na Avenida João Ometto, 200, Jd. Panambi, em Santa Bárbara d´Oeste. (19) 3499-1558. www.fundacaoromi.org.br/cedoc.