Hospital Samaritano de S. Bárbara garante assistência a bebês prematuros

Por Roberto 27/07/2021 - 12:40 hs

Hospital Samaritano de S. Bárbara garante assistência a bebês prematuros
Hospital Samaritano de Santa Bárbara (Imagens divulgação)

Primeiro bebê da UTI Neonatal teve alta após 16 dias de internação


UTI Neonatal

O Hospital Samaritano Santa Bárbara d´Oeste quer ser referência no atendimento aos bebês prematuros. A UTI Neonatal já está em funcionamento. Equipada e com equipe altamente qualificada, o primeiro bebê a ser internado na UTI Neonatal se recuperou e teve alta após 16 dias de internação. Outros dois recém-nascidos também estiveram internados e tiveram alta.


Anthony Gabriel do Carmo Anadeto

O primeiro bebê da UTI Neonatal foi Anthony Gabriel do Carmo Anadeto. Ele nasceu no dia 29 de junho com 2.520 kg e medindo 44 centímetros. Após 16 dias, ele foi para casa. “Estava com 33 semanas de gestação e tive uma complicação. Fui prontamente atendida no Hospital e durante toda a nossa permanência me senti muito confortável e segura. Tivemos toda a atenção voltada para nós dois”, contou Luciana Elida do Carmo, mãe do Anthony.


“O atendimento é impecável e começa já na recepção. Todas as demais equipes como a da copa, hotelaria, limpeza, de enfermagem e médica são excelentes. Os funcionários são bem treinados e esse conceito de hotelaria é outro diferencial”, acrescentou.


Posição canguru: Luigi e Maria Elisiane

O bebê Luigi Serra Domingos nasceu no dia 10 de julho pesando 1.885 kg e medindo 44 centímetros. Sua mãe, Maria Elisiane Serra, estava com 33 semanas de gestação quando entrou em trabalho de parto. Luigi está na UTI Neonatal. “Foi um susto, mas, ao perceber todo o amparo e assistência que estamos tendo, estou mais segura. O atendimento é humanizado e estou passando por uma experiência enorme. Só tenho a agradecer a toda essa equipe que cuidou do meu bebê com tanto carinho”, falou. Ele teve alta no dia 23 de julho.


A UTI Neonatal possui cinco leitos. Foram adotadas práticas de segurança que possibilitam resultados positivos na assistência aos bebês como: ausência de casos de infecção relacionado a Covid-19 no setor e fortalecimento dos processos de humanização.

“Nosso diferencial é a humanização. A mãe fica com o bebê e participa dos cuidados. Adotamos a posição canguru que é manter o recém-nascido na posição vertical apenas de fraldas em o contato pele a pele com a mãe. Tudo amparado e acompanhado por equipe treinada”, disse a chefe da UTI Neonatal, Dra. Mariana Polo. Além disso, na UTI Neonatal os recém-nascidos têm contato com os polvos feitos de crochê cujos tentáculos em espiral remetem ao cordão umbilical, sugerindo acalmar os bebês e evitar que puxem os fios de monitores e tubos de alimentação.

De acordo ela, os bebês fazem exames comuns além dos especializados como o teste do pezinho ampliado, teste genético como também ecocardiografia, ultrassom transfontanela e eletroencefalograma. “Tudo para rastrear possíveis doenças e garantir a melhor assistência aos prematuros”, disse Dra. Mariana. O atendimento na UTI Neonatal inclui também o apoio de outras especialidades médicas, fonoaudióloga e o incentivo ao aleitamento materno.


AMBULATÓRIO

Segundo a média responsável pela UTI Neonatal, em breve, o Hospital contará com um Ambulatório de segmento do prematuro. Essa assistência vai acompanhar durante um período todos os prematuros que tiverem passado pela UTI Neonatal. “É um diferencial e na região, não há esse tipo de atendimento”, garantiu.

ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER

O Hospital Samaritano Santa Bárbara d´Oeste tem um Centro de Atenção à Saúde da Mulher com atendimento ambulatorial com ginecologista, obstetra e mastologista. Além de acolhimento e atendimento às gestantes com programas de seguimento pós-parto.

As pacientes não precisam mais se deslocar para vários locais para ter atendimento. Dentro do Hospital é possível fazer as consultas de rotina ginecológica, de pré-natal, além de todo o acompanhamento da puérpera e do recém-nascido. Há ainda a realização de exames laboratoriais e de imagens como ultrassom, cardiotocografia e monitorização fetal além de acompanhamento e diagnóstico em relação às doenças da mama. No mesmo local de acolhimento e atendimento às mulheres, a gestante pode realizar o seu parto e tem toda a segurança de contar com a retaguarda da UTI Neonatal e Adulto.