Paciente que teve 70% do corpo queimado recebe alta do Hospital Metropolitano após 431 dias de internação

Por Roberto 16/09/2021 - 16:25 hs

Paciente que teve 70% do corpo queimado recebe alta do Hospital Metropolitano após 431 dias de internação
Daniel ficou 431 dias internado

Nesta quarta-feira, 15/9, o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), localizado em Ananindeua, viveu um dos momentos mais aguardados pelos profissionais de saúde da unidade.  

Após 431 dias internado, Daniel Alves recebeu alta médica e deixou o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência para, enfim, voltar para casa, no município de Macapá. 

Autônomo de 32 anos de idade, ele deu entrada no hospital no dia 11 de julho de 2020, depois de sofrer uma descarga elétrica de alta intensidade enquanto trabalhava.  




Daniel chegou a cair de uma altura de quatro metros. Foi socorrido para uma unidade de saúde no município Macapá em estado grave para, em seguida, ser transferido ao Metropolitano, onde chegou com 70% do corpo atingido por queimaduras de segundo e terceiro graus. 

Referência no atendimento a queimados no Norte do País, o Metropolitano conta com um Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), prestando assistência a todas as idades. O hospital faz parte da rede pública de saúde do Governo do Pará e é gerenciado pela entidade filantrópica Pró-Saúde.  

Durante a saída do hospital, Daniel recebeu aplausos e homenagens pela equipe assistencial do Metropolitano. Até ganhou uma carta com mensagens de esperança, assinada com o nome de todos os profissionais que fizeram parte do seu atendimento nesse período.  

Emocionado com o carinho do hospital, ele se despediu agradecendo os cuidados que recebeu a sua recuperação. “Não preciso dizer muito, apenas que estou muito feliz de poder voltar pra casa depois desse longo período de tratamento”, declarou.

Durante a sua internação, Daniel precisou passar por mais de 20 procedimentos clínicos, muitos deles envolvendo enxertos.  

Ao longo dos 14 meses, o tratamento envolveu profissionais em diversas especialidades, como terapia intensiva, oftalmologia, cirurgia geral, ortopedia e traumatologia, infectologia, nutrologia e cirurgia plástica. 

“Ao analisar o estado de saúde do paciente, sabíamos que seria uma longa batalha com prolongado tempo de internação. Mas ele, com apoio de toda equipe, superou nossas expectativas e hoje pôde retornar para sua casa”, informou o médico do CTQ, Sandro Oliveira. 




Ainda nesta quarta-feira, 15/9, quando Daniel pode voltar para Macapá, a diretora Hospitalar, Alba Muniz, falou sobre o empenho de todos os profissionais na recuperação do paciente.  

“O Daniel é um guerreiro. O tratamento médico depende muito da colaboração dos pacientes e ele não desistiu em nenhum momento. Se mostrou forte e empenhado na sua recuperação. A alta hospitalar é mais um passo para a reconstrução da sua vida”, garantiu.