Seja bem vindo
Santa Bárbara,27/05/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

Prefeitura de Nova Odessa obtém autorização ambiental para nova usina de compostagem do Guarapari

Fonte: Redação
Prefeitura de Nova Odessa obtém autorização ambiental para nova usina de compostagem do Guarapari Portão da usina de compostagem do Guarapari



 

A Prefeitura de Nova Odessa acaba de obter da Cetesb (Agência Ambiental do Estado de São Paulo) a LO (Licença de Operação) da nova Unidade de Compostagem no Viveiro Municipal, que é uma área pública adjacente ao bairro de chácaras Recanto do Guarapari, na região da Fazenda Velha. Com a emissão do chamado “licenciamento ambiental”, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente pode dar início em breve ao processo de produção de adubo orgânico no local.

 

A LO autoriza a produção de “compostos orgânicos para fertilização do solo a partir de processo de degradação biológica de resíduos orgânicos”. No caso específico do projeto da Prefeitura de Nova Odessa, a compostagem vai ser feita com os restos de podas de vegetação urbana, feitas pela própria equipe do Setor de Parques e Jardins. A licença tem validade até abril de 2029, quando deverá ser renovada.

 

A Secretaria de Meio Ambiente também vai receber material das pequenas empresas de jardinagem cadastradas previamente pelo Município, além dos próprios moradores do Guarapari. Fora isso, está proibido o descarregamento de resíduos vegetais no Viveiro por terceiros.

 

O acesso dos profissionais de jardinagem cadastrados na Prefeitura e dos moradores do bairro se dará por uma nova portaria, situada na Estrada Municipal Olívio Biondo, via rural que passa “atrás” do Viveiro Municipal – e não pelo interior do Recanto do Guarapari. O atendimento será diário, nos dias úteis, de segunda a sexta-feira, das 9h às 15h.

 

Segundo a diretora de Meio Ambiente da cidade e autora do projeto de compostagem, Daniela Fávaro, “com essa Usina de Compostagem, a Prefeitura ganha três vezes. Primeiro, porque é uma economia para os cofres públicos municipais, que não vai mais precisar destinar os restos de podas para um aterro controlado”.

 

“Segundo, porque (os restos de podas) são matéria-prima para um adubo orgânico de qualidade, que vamos utilizar nos nossos próprios canteiros e praças. E por fim porque teremos uma cidade ainda mais limpa, agora que haverá um local para destinação destes resíduos verdes”, acrescentou a bióloga.

 

A Unidade de Compostagem Municipal vai receber todo tipo de resíduo “verde” (vegetal) resultante das podas e supressões de árvores e arbustos realizadas pelas equipes da Prefeitura, triturar esse material orgânico e fazer um processo de compostagem com ele. Uma vez produzido o adubo orgânico resultando desse processo, o material vai ser utilizado nas horas comunitárias, canteiros, praças e projetos paisagísticos da cidade em geral.

 

Por isso, o resíduo “verde” não poderá, em hipótese alguma, ser misturado com outros tipos de resíduos, como lixo comum (mesmo que orgânico), entulhos (ou “resíduos da Construção Civil”), metais ou materiais sintéticos, como plásticos.

 

O Viveiro do Guarapari foi selecionado pela equipe técnica da Secretaria de Meio Ambiente para receber a futura Unidade de Compostagem por se tratar de uma área municipal, pública, já totalmente cercada, com vigilância 24h por dia e infraestrutura mínima. Além disso, o adubo resultando do processo de compostagem também vai ser utilizado também na própria produção de mudas de árvores pelo Viveiro, ampliando a capacidade de reflorestamento e plantio de árvores urbanas da Prefeitura.




COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login