Grêmios estudantis trazem benefícios que vão além das salas de aula

Por Roberto 20/03/2018 - 09:39 hs

Grêmios estudantis trazem benefícios que vão além das salas de aula
Escola Gabriel de Oliveira em Santa Bárbara (Imagem Ilustrativa)

 

Enriquecimento do currículo profissional, desenvolvimento de habilidades sociais e de organização são alguns dos benefícios; eleições das novas gestões seguem até 10 de abril


Organização, protagonismo, liderança e capacidade de tomada de decisões são algumas das habilidades buscadas em estudantes que desejam fazer parte de um grêmio estudantil, mas se engana quem acha que não é possível adquiri-las durante o mandato. Além de desenvolver competências sociais, a participação também costuma render pontos extras no currículo profissional. Nas escolas da rede estadual, a campanha eleitoral e o pleito para eleger as novas gestões devem acontecer até o dia 10 abril. Atualmente, 92% das escolas da rede contam com Grêmios.


Parte do projeto Gestão Democrática, a vivência em grêmios estudantis ajuda os alunos a aprenderem a trabalhar em grupolidar com diferenças e até mesmo desenvolver habilidades de comunicação, além, é claro, de ajudar os alunos no protagonismo juvenil.

 

Para Alex Oliveira Aguiar, do 2º ano do Ensino Médio da E.E Pereira Barreto, na capital, ajudar a organizar os projetos do grêmio melhorou muito sua capacidade de comunicação. Além de tomar decisões com a coordenação e coletar opiniões junto aos outros alunos da unidade, ele precisou aprender a falar para o público. Alex ainda ressalta o seu avanço no conhecimento de economia.  “O cargo de tesoureiro foi um grande desafio para mim. Aprendi como trabalhar com finanças e a ter uma responsabilidade maior”, comenta.


Na EE Valois Scortecci, em Barretos, as estudantes Antonela Guerra e Ana Beatriz Nunes Rodrigues, secretárias do grêmio estudantil durante um ano, destacam principalmente o crescimento que tiveram na hora da tomada de decisões. Para elas, atuar em um projeto de gestão democrática também dá espaço para desenvolver competências úteis para a sala de aula enquanto exercem sua cidadania. “Como secretária, consegui não só melhorar nos meus aspectos de liderança, mas também treinar minha de escrita e organização. É um dos maiores aprendizados que podemos ter dentro da escola”, completa Ana Beatriz.