Exercício com carga é a bola da vez para a saúde dos idosos

Por Roberto 26/04/2018 - 11:52 hs

Exercício com carga é a bola da vez para a saúde dos idosos
Márcia Viana - Treino de Força

 

Pesquisa norte-americana substitui vitamina D por treino de força para evitar quedas, uma das principais causas de morte após os 65 anos


Acaba de ser publicada a atualização das diretrizes sobre prevenção de queda em pessoas com mais de 65 anos na revista norte-americana Journal of the American Medical Association (Jama), pelo Grupo US Preventive Services Task Force (USPSTF). As novas pesquisas modificam a tese de 2012 de que tomar vitamina D é a melhor forma de prevenir quedas em idosos. Apurou-se que a ingestão dessa vitamina, pura ou com cálcio, não evitou quedas neste público, além de aumentar o risco de desenvolver cálculo renal.


As lesões provocadas por quedas são uma das principais causas de morte entre maiores de 65 anos. De acordo com o USPSTF, a melhor forma de combater essa tendência é fortalecer o corpo mediante exercícios. A fisioterapeuta e fisiologista do exercício Márcia Viana alerta que o maior indicativo de fragilidade de pessoas idosas, principalmente a partir de 80 anos, é a sarcopenia, um estado natural que o ser humano atinge com o avançar da idade. A tendência é o organismo perder massa magra, principalmente muscular, o que torna os ossos desprotegidos, os movimentos com menor amplitude e a dificuldade em realizar atividades cotidianas aumenta.


Segundo Márcia, pacientes com sarcopenia se desequilibram facilmente, têm mais risco de cair e se machucar. Na maior parte dos casos fratura-se o fêmur, e as cirurgias nessa situação são arriscadas: 50% sobrevivem e desses, 25% ficam limitados à cadeira de rodas. Cenário evitável se houvesse a prática regular de exercícios que estimulam a força muscular.


“O desenvolvimento da massa magra do corpo reduz hipertensão, osteoporose, colesterol alto, infarto, embolia, trombose e AVC. Também aumenta a imunidade, a massa óssea, a força muscular e diminui a gordura abdominal”, ressalta a fisiologista.


Eficiência dos movimentos


Márcia lembra que para realizar movimentos eficientes e garantir menos lesões articulares, tendinosas, musculares e ósseas, e também com menor custo energético para o corpo, é necessário melhorar ou desenvolver  a  aptidão física.


A aptidão física é um conjunto de componentes que contribuem para a eficiência do corpo. Fazem parte a destreza (capacidade de coordenar adequadamente os movimentos), flexibilidade (capacidade de realizar movimentos amplos nas articulações), velocidade (movimentar-se rápido), força (capacidade de gerar tensão, potência) e resistência (prolongar esforços). Todas as pessoas nascem com esses atributos e cada um apresenta um nível diferente.


Márcia explica que o que mais requer atenção é a força muscular: quando ela é estimulada, melhora todas as outras aptidões. Um corpo mais forte tem destreza, coordenação, flexibilidade, consciência corporal, velocidade e torna-se mais potente. “A força está diretamente ligada à potência. Por isso é tão importante, principalmente para os idosos, fazer exercícios de força muscular. Quanto mais se envelhece, mais precisa da força para evitar lesões e contusões”, observa. 


Sobre Dra. Márcia Viana


Fisioterapeuta, com 30 anos de experiência, Márcia Viana e sua equipe oferecem a possibilidade de tratar e prevenir as possíveis disfunções que o avançar da idade pode ocasionar; preservando a jovialidade e a independência física melhorando a qualidade de vida. Possui especialização em Fisiologia do Exercício pela Escola Paulista de Medicina-UNIFESP e especialização em Fisiologia do Exercício e Treinamento Resistido na Saúde, na Doença e no Envelhecimento pela CECAFI-USP.