Secretaria de Educação investiga caso de lesão corporal em criança de 5 meses

Por Roberto 11/09/2018 - 20:26 hs

Secretaria de Educação investiga caso de lesão corporal em criança de 5 meses
Bebê foi atendido no PS Dr. Afonso Ramos

A Secretaria Municipal de Educação de Santa Bárbara d'Oeste está investigando um caso de lesão corporal ocorrido com uma criança, de apenas cinco meses, no Ciep Angélica Sega Tremocoldi, no Jardim das Orquídeas, nesta segunda-feira. Os pais da criança procuraram a polícia, fizeram exame de corpo de delito e registraram boletim de ocorrência.


A mãe K.C.A.C., de 39 anos, professora, contou na polícia que por volta das 16h, buscou o filho G.C.V. na unidade escolar e como ele estava adoentado na semana passada, perguntou para a monitora da classe como ele havia passado o dia. A funcionária respondeu que ele estava choroso e enjoadinho. Em seguida, a mãe pegou o filho e foram para a casa e quando tirou as roupas da criança, notou hematomas no ombro e nas costas dele. Imediatamente, ela retornou com a criança à escola, sendo que a monitora os levou até as professoras e a mãe mostrou as marcas no seu filho.


As professoras alegaram que trabalham no período da tarde e que somente trocam as fraldas das crianças, não sendo necessário retirar toda a roupa, razão pela qual não tinham notado os hematomas. Também informaram que as funcionárias da manhã é que ficam encarregadas dos banhos.


Ao contínuo, a mãe levou o filho até o Pronto-Socorro Dr. Afonso Ramos, no Jardim Esmeralda, onde passou por atendimento médico e em seguida foi liberado. Depois, dirigiu-se até o plantão policial para registrar o boletim de ocorrência de lesão corporal e feita requisição de exame de corpo de delito no IML de Americana.


NOTA DA SECRETARIA


Em nota, a Prefeitura respondeu que a Secretaria de Educação tomou conhecimento e está averiguando os fatos.

"A Secretaria de Educação informa que tomou conhecimento sobre o fato e está averiguando toda a situação.

Ressalta-se que em Santa Bárbara d'Oeste há um Protocolo de Proteção da Criança e do Adolescente, que envolve as secretarias de Educação, Saúde, Promoção Social, Segurança, Trânsito e Defesa Civil, além do Conselho Tutelar, Ministério Público, Poder Judiciário, Polícia Civil e Diretoria Estadual de Ensino. Trata-se de um trabalho em rede, que garante uma atenção integral à criança, adolescente e famílias em suspeita ou situação de violência. 

Durante o atendimento prestado no PS "Dr. Afonso Ramos", em momento algum houve menção de uma suposta ação que indicasse violência. A criança, que ficou afastada da escola por meio de atestado médico durante 5 dias, foi atendida e liberada pelos médicos".