Após 23 anos, Colégio Anglo fecha as portas em Santa Bárbara

Por Roberto 14/12/2018 - 12:05 hs

Após 23 anos, Colégio Anglo fecha as portas em Santa Bárbara
Colégio Anglo encerra atividades em Santa Bárbara d'Oeste

 

Depois de 23 anos de atividades na cidade, o Colégio Anglo Santa Bárbara d’Oeste anunciou o fechamento da instituição. Nesta quinta-feira (13), a direção da escola comunicou aos professores e demais colaboradores sobre o encerramento da unidade. A partir de hoje, estão ocorrendo reuniões dos pais de alunos matriculados na escola que, por meio de parceria, serão transferidos para o Colégio Ideal. Um empreendimento imobiliário deverá ser construído na área, que fica na Avenida da Saudade, na Vila Grego.


A notícia pegou de surpresa pais e alunos que gostavam da instituição e queriam que seus filhos continuassem estudando no Anglo.


De acordo com o diretor do colégio, Marcos Cardoso, outros projetos foram definidos. “A escola está com o salário em dia, 13º salário também e com a segunda parcela já programada. Não devemos nada na praça, mas achamos que devemos ter nos rumos. O prédio vai abrigar em parte um empreendimento imobiliário e firmamos uma parceria com o Colégio Ideal para a transferência dos alunos com os mesmos valores estabelecidos na matrícula mantidos”, garantiu.

 

Sobre as reuniões com os pais dos alunos que estudam na instituição, elas foram agendadas para hoje, às 11h e 17h e na segunda-feira (17), às 19h, para que todos os responsáveis possam participar. No caso dos novos alunos, que deveriam ingressar na instituição em 2019 e que e já efetivaram a matrícula, reuniões foram agendadas para o dia 17, às 11h e 18h. Além disso, o diretor explicou que em todos os encontros, membros da direção do Colégio Ideal estarão presentes para possíveis dúvidas.


“Nós do Colégio Anglo estaremos na escola até o dia 21 de dezembro para atender os pais que tiverem dúvidas. O mesmo acontecerá no mês de janeiro”, finalizou Cardoso. 


HISTÓRIA


O Anglo Santa Bárbara d'Oeste nasceu, em 1995, de um desejo de implantar uma escola que atendesse à demanda escolar, desde as séries iniciais do Ensino Fundamental até o Ensino Médio, inclusive o curso Pré-Vestibular, com um alto nível de formação. 


A primeira ideia foi trazer a escola para cá, onde não havia nenhuma, e os pais, desejosos de que seus filhos obtivessem uma formação melhor, tinham que buscá-la nas cidades vizinhas. Por esta razão, resolveu instalar essa escola pioneira na cidade. 


Um local adequado para o seu funcionamento foi encontrado, e já no primeiro ano, iniciaram-se as atividades com Ensino Fundamental, Ensino Médio e Curso Pré-Vestibular completos, em um prédio alugado. 


A luta não parou: em 1997, conseguiu adquirir, depois de muita procura, um terreno de 26.000m2, muito bem localizado na Vila Grego. Sonhava-se com a construção de um prédio adequado, com amplas salas de aula, boa iluminação, muita área verde, para acolher, carinhosamente, os nossos alunos. Após muita luta, a escola foi construída. Em 2001, as atividades foram transferidas para o prédio próprio, que agora chegam ao fim.


DESPEDIDA


Em sua página no Facebook, a professora Josiane MB, publicou um texto de despedida, após trabalhar no Anglo por 15 anos.


"Aos diretores, professores e funcionários, minha gratidão enorme por tudo que aprendi com vocês nesses 15 ANOS de convivência! Cheguei ao colégio ainda menina, recém-formada, e aqui encontrei a generosa oportunidade de começar a carreira, aqui errei e acertei, aqui amadureci pessoal e profissionalmente, aqui tive a honra de compartilhar desta profissão tão amada e de ouvir a experiência de cada um. Obrigada, amigos!


O que dói não é só esvaziar nossos armários ou "perder o nosso emprego" (porque novas e excelentes oportunidades virão, com certeza), mas sobretudo finalizar nossa história juntos, a nossa identidade coletiva, o nosso lugarzinho querido. Dói ver um ponto final na história de um colégio tão lindoooo, onde nos sentíamos em casa, uma escola tão boa onde quisera eu ter podido estudar!!! O Anglo era como uma família. Como um texto para o qual sempre havia apenas vírgulas e reticências... mas hoje aí está o ponto... feito de lágrima", diz trecho de texto escrito pela professora sobre o colégio.