Homem confessa que matou mulher em Rio das Pedras por ela ter recusado sexo, diz delegado

Homem confessa que matou mulher em Rio das Pedras por ela ter recusado sexo, diz delegado

Por Roberto 09/08/2016 - 23:20 hs

Homem confessa que matou mulher em Rio das Pedras por ela ter recusado sexo, diz delegado
Juliane Michele foi morta porque recusou fazer sexo com pedreiro

A Policia Civil prendeu nesta terça-feira (9), no bairro Alto, em Piracicaba (SP), o homem suspeito de matar a lavradora Juliane Michele Calisto, de 31 anos. O corpo dela tinha sido encontrado enrolado em um cobertor na sarjeta de um bairro em Rio das Pedras (SP). Segundo o delegado Vagner Rogério Romano, o pedreiro de 38 anos de idade confessou o crime e disse que matou a mulher por ela ter se recusado a ter relações sexuais com ele. 

O homem morava a duas quadras da vítima e afirmou à polícia que convidou a lavradora para ir até a casa dele para conversar. Após a moça se recusar a fazer sexo com ele, o pedreiro começou agredi-la com chutes, socos e golpes com uma chave de fenda, conforme o delegado.

Ainda segundo Romano, ao perceber que a mulher estava morta, o pedreiro enrolou o corpo dela em um cobertor e o levou para a rua. Como estava amanhecendo e já havia movimentação de pessoas, o homem não conseguiu levar o cadáver para um local distante e o deixou em uma sarjeta a cerca de 100 metros da casa dele, informou a polícia.

Provas do crime


Na casa do pedreiro, foram encontradas roupas com manchas de sangue e na mochila dele estava chave de fenda usada para matar Juliane. De acordo com a polícia, o pedreiro pretendia fugir, já que pegou uma carona de Rio das Pedras para Piracicaba com intenção de chegar até a rodoviária, onde pegaria um ônibus para outra cidade. Ainda de acordo com o delegado, o suspeito já foi detido em 2013 por ter agredido uma mulher que morava com ele em Capivari (SP).

Corpo de mulher estava enrolado em cobertor em Rio das Pedras (Foto: Arquivo pessoal)
Corpo de mulher estava enrolado em cobertor
em Rio das Pedras (Foto: Arquivo pessoal)

Suspeita de estupro


Descrito como "extremamente frio" por Romano, o pedreiro vai passar por exames no Instituto Médico Legal de Piracicaba (IML) e ficará preso temporariamente por 30 dias em uma delegacia da cidade, enquanto as investigações sobre o crime são realizadas. Além de homicídio qualificado, ele também poderá responder pelo crime de estupro, caso as investigações concluam que ele   a violentou sexualmente antes de matá-la.

Desaparecida


Juliane Michele Calisto foi encontrada morta na segunda-feira (8) e estava desaparecida desde sábado (6), de acordo com a Polícia Civil de Rio das Pedras. A família procurava pela mulher, mas como o desaparecimento de ainda não tinha mais de 48 horas, o caso não tinha sido registrado na delegacia da cidade.

O cadáver estava no bairro Luiz Massud Coury. De acordo com a Guarda Municipal, o corpo foi deixado na Rua Dezavantor Schiavon. Um morador saiu para trabalhar, por volta das 7h, e encontrou a mulher no local.

Segundo o Corpo de Bombeiros, uma moradora viu o cobertor logo que saiu de casa e o abriu para ver que o que era e ficou muito assustada. A perícia criminalística e a PM foram até o local e o cadáver foi removido por volta das 9h30 de segunda. De acordo com a Polícia Militar, a perícia constatou que a mulher tinha lesões de pancadas na cabeça.

 

Fonte: G1