Após falhas, concurso de Louveira vira caso de polícia

Por Roberto 16/05/2016 - 22:08 hs

Após falhas, concurso de Louveira vira caso de polícia
Candidatos que fizeram as provas não tiveram celulares recolhidos

Candidatos que concorriam a 15 vagas na Câmara de Vereadores de Louveira (SP) não puderam fazer a prova neste domingo (14). Em pelo menos dois locais de testes foram registradas irregularidades e o caso foi parar na polícia. A empresa que realizou o certame é de Santo André (SP).

Os candidatos que prestavam uma prova para o cargo de procurador jurídico tiveram uma surpresa quando chegaram para o teste e descobriram que os nomes não constavam na lista de inscritos.

No entanto, segundo a candidata Nathalia Moreira, mais surpreendente foi a solução apresentada por um dos fiscais.

"Já estava na mesa um lacre rompido e um funcionário falou para colocar o nome, aí a gente vai tirar xerox da prova e vocês vão fazer", explica.

Os candidatos afirmam também que houve falha na fiscalização, já que os celulares não foram recolhidos. Para provar a irregularidade, alguns tiraram fotos das salas e até da prova.

Caso de polícia

Após a confusão, até candidatos que estavam com o nome na lista desistiram de fazer a prova. Alguns deles chegaram a registrar boletim de ocorrência na delegacia da cidade e querem a anulação do concurso. O certame teve 6.446 inscrições para 15 vagas em 11 cargos diferentes.

Candidatos tiraram foto até da prova do concurso (Foto: Reprodução/ EPTV)Candidatos tiraram foto até da prova do concurso (Foto: Reprodução/ EPTV)

Outro local de prova
Muitos candidatos que se inscreveram para disputar uma vaga para o cargo de auxiliar administrativo também se recusaram a fazer a prova por causa de outras falhas no concurso. Foram encontrados na listagem nomes duplicados, mas com dois números de inscrição e identidade.

A contratada para realizar o concurso foi a Moura Melo Concursos, de Santo André. Um representante da empresa disse que as falhas podem ter sido causadas por um erro de programação. Já sobre o cancelamento, afirmou que essa decisão cabe a comissão organizadora.

 

Fonte: G1