Livro retrata a história real de filha com a mãe, portadora da Doença de Alzheimer

Por Roberto 08/06/2021 - 12:34 hs

Livro retrata a história real de filha com a mãe, portadora da Doença de Alzheimer
Viver Sem Saber, de Mariela Sorgetz


Narrativa quer sensibilizar pessoas em torno da causa, que é pouco debatida e afeta cerca de 2 milhões de pessoas no Brasil

O livro “Viver Sem Saber – Relatos de Amor, Dor e Humor sobre a Doença de Alzheimer”, escrito por Mariela Sorgetz e publicado pela Luz da Serra Editora, conta a história real vivida pela autora e sua mãe, dona Anninha, portadora da Doença de Alzheimer nos últimos oito anos. O objetivo da narrativa é promover reflexões, que sensibilizem cada vez mais pessoas em torno desta causa. O livro conta com prefácio escrito pelo médico Dr. João Senger, geriatra e presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia – seccional RS.


“Demorei a pronunciar a palavra Alzheimer quando recebi o diagnóstico sobre a demência da minha mãe. A palavra soava com fúria para mim. Era árdua, dura e vergonhosa. Tinha peso essa palavra”, menciona Mariela. Em seus relatos, a autora conta que se pudesse parar o tempo antes desse acontecimento, teria feito. Mas, para ela, a presença da mãe foi sempre tão valiosa em sua vida, que ela a acolheu com a demência e transformou o que viveu e vive, em relatos, que poderão servir para acalmar sentimentos e corações angustiados como o dela. “O Alzheimer não transforma apenas o paciente, ele transforma a todos que estão ao seu redor. Você precisa escolher como quer viver essa transformação”, explica ela.


Estima-se que existam mais de 45 milhões de pessoas vivendo com demências no mundo e que esse número irá dobrar a cada 20 anos, segundo dados disponibilizados pelo Instituto Alzheimer Brasil (IAB). Demências são doenças cerebrais que causam a diminuição progressiva da capacidade cognitiva, alterações de comportamento e perda da funcionalidade. A doença de Alzheimer é o tipo mais frequente de demência. As demências habitualmente acometem a população idosa. Apenas no Brasil, onde hoje há mais de 29 milhões de pessoas acima dos 60 anos, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), acredita-se que quase 2 milhões de pessoas têm demências, sendo que cerca de 40 a 60% delas são do tipo Alzheimer.