Siga seu Coração/Setembro Vermelho alerta a população para os cuidados com as doenças cardiovasculares

Por Roberto 08/09/2021 - 10:30 hs

Siga seu Coração/Setembro Vermelho alerta a população para os cuidados com as doenças cardiovasculares
Cuidados com as doenças cardiovasculares (Imagem Abreu Cardiologia)

 Promovida anualmente, desde 2014 pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, Campanha terá diversas atividades de conscientização

sobre a importância da saúde do coração.

 

Ao longo do mês em que no dia 29 é comemorado o dia mundial do coração, o Instituto Lado a Lado pela Vida promove a campanha “Siga seu Coração/Setembro Vermelho”, que tem como objetivo chamar a atenção da população para as doenças cardiovasculares. As enfermidades do coração são as que mais matam no mundo e no Brasil, por isso a importância de dar a devida atenção aos cuidados com esse órgão vital. 



 

Neste ano, o mote da campanha é “Qual coração você cuida? Com qual coração você se importa?” que faz uma provocação e um questionamento aos brasileiros sobre quanta atenção e tempo cada um dedica às redes sociais, se importando com “likes” simbolizados pelo ícone do coração, em comparação à importância dada à saúde cardiovascular.

 

Durante todo o mês de setembro, diversas ações acontecerão como, por exemplo, a 2ª edição da exposição Siga Seu Coração, um projeto do Instituto Lado a Lado pela Vida que reunirá dez esculturas em formato de coração, com 2,25m x 1,70m x 1,00m pintadas por artistas plásticos. A exposição será aberta dia 24/9, no Conjunto Nacional, na Avenida Paulista, em São Paulo, seguindo todos os protocolos de segurança. O objetivo da exposição é, por meio da arte, chamar a atenção para os cuidados com o coração e traduzir isso foi a missão desse grupo de artistas que se dedicaram para proporcionar uma experiência única a todos os visitantes.

 

No dia 29 de setembro, Dia Mundial do Coração, como tradicionalmente acontece, o Cristo Redentor será iluminado de vermelho, chamando ainda mais a atenção da população para os cuidados com a saúde do coração. Além dessas ações, o LAL preparou uma série de conteúdos informativos e Lives com especialistas de seu Comitê Científico abordando temas como a importância de conhecer melhor os riscos do colesterol alto para a saúde integral; insuficiência cardíaca; doenças crônicas não transmissíveis como diabetes, obesidade, tabagismo e, entre 13 e 19 de setembro, realiza ações alinhadas com o calendário mundial da Semana das Valvopatias.



 

Ainda dentro da programação do “Siga seu Coração/Setembro Vermelho” será realizado no dia 28/9 o workshop “Colesterol – o coração dos brasileiros em alerta máximo”, onde serão apresentados e debatidos os resultados de uma pesquisa inédita realizada pelo Instituto Lado a Lado pela Vida em 2021, com foco nas percepções e conhecimento sobre as doenças cardiovasculares e o controle do colesterol por parte da população brasileira, com respondentes das cinco regiões do país.

   

Marlene Oliveira, presidente do LAL, explica que a campanha tem como objetivo instigar a população a pensar na sua responsabilidade individual com a saúde. “A mudança de hábitos interfere diretamente na saúde do coração. Em 2021, queremos instigar os brasileiros a refletir sobre seu comprometimento em cuidar da saúde do seu coração com a mesma dedicação que damos a dar likes ou a navegar nas redes sociais. O brasileiro passa 47h mensais conectado, o que mostra o quanto as pessoas têm se importando cada vez mais com os corações recebidos nas postagens do que com o próprio órgão. A campanha pretende justamente dar o alerta que o coração real deve receber mais atenção”.


VOCÊ APRECIA NOSSO TRABALHO? APOIE O REGIÃO HOJE ENVIANDO UM PIX DE QUALQUER VALOR PARA A CHAVE 038.784.708-19


A Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta que as enfermidades do coração são as que mais matam no mundo. No Brasil, somente no primeiro semestre deste ano, já morreram mais de 269.302, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). “O número de óbitos relacionados a problemas cardiovasculares tem subido ano após ano. Em 2004, no país, morreram 285.543 pessoas, já em 2016, houve um salto para 362.091, ou seja, um aumento de mais de 20% em 12 anos. Os dados da SBC refletem a falta de cuidado e prevenção das doenças. Muitas dessas mortes poderiam ser evitadas com mudanças simples no estilo de vida”, pontua Marlene que criou a campanha em 2014, com o intuito de expor os perigos da negligência com a saúde cardiovascular.


O cardiologista Marcelo Sampaio, membro do comitê científico do LAL, reforça que as doenças cardiovasculares podem ser causadas por fatores genéticos, maus hábitos, sedentarismo e doenças crônicas. “Adotar uma alimentação saudável interfere diretamente na saúde do coração. Consumir legumes, frutas e folhas, no lugar de hamburguer, lasanha congelada, salgadinhos, salsicha e demais comidas processadas, juntamente com a diminuição do sal nas refeições, melhora a qualidade de vida da população”, aponta.


A atividade física é outro componente que quando incorporado ao dia a dia traz benefícios. “A prática de exercício ajuda na redução do colesterol, na diminuição do estresse e da gordura abdominal, fator de risco para obstrução das artérias, que pode ocasionar em um infarto do miocárdio, por exemplo. O ideal é se exercitar por 40 minutos ao dia, pelo menos. O importante é manter-se ativo”, orientou Sampaio, que atua na profissão há mais de 30 anos.


O cardiologista reforça ainda o cuidado com o diabetes e a hipertensão, enfermidades que podem causar danos irreversíveis ao coração. “Tais doenças crônicas provocam lesões ao órgão, que prejudicam o seu pleno funcionamento. Com o passar o tempo, o quadro pode evoluir para uma insuficiência cardíaca e até mesmo para um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Os pacientes já diagnosticados com doenças crônicas devem seguir à risca as orientações médicas para evitar complicações futuras”.


A presidente do Instituto faz também um alerta para a criação de políticas públicas e o aumento no investimento à atenção primária. De acordo com a presidente, é a partir delas que começam a prevenção e a promoção da saúde. “O valor investido em tratamento e cirurgias poderia ser revertido para as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e para o Programa Saúde da Família (PSF), portas de entrada do paciente no Sistema Único de Saúde (SUS). O problema identificado inicialmente onera menos o SUS, diminui o risco de evolução do quadro, aumenta a longevidade e qualidade de vida da população”, finaliza.

 

Sobre o Instituto Lado a Lado Pela Vida (LAL) 

Fundado em 2008, o Instituto LAL é a única organização social brasileira que se dedica simultaneamente às duas principais causas da mortalidade - o câncer e as doenças cardiovasculares - além do intenso trabalho relacionado à saúde do homem. Sua missão é mobilizar e engajar a sociedade e gestores da saúde, contribuindo para ampliar o acesso aos serviços, da prevenção ao tratamento, e mudar para valer o cenário da saúde no Brasil. Trabalha para que todos os brasileiros tenham informação e acesso à saúde digna e de qualidade, em todas as fases da vida. Além do Novembro Azul, o Instituto Lado a Lado pela Vida é o idealizador das campanhas Respire Agosto, Siga seu Coração, Mulher Por Inteiro e #LivreSuaPele.