Unimep vai cortar 15% dos funcionários e vai abrir novos cursos em Piracicaba

Por Roberto 14/12/2017 - 15:17 hs

Unimep vai cortar 15% dos funcionários e vai abrir novos cursos em Piracicaba
nimep pode ter corte de 15% dos funcionários para ajuste orçamentário (Foto: Carol Giantomaso/G1)

Reitor Fabio Josgrilberg diz que redução é necessária para ajustes orçamentários e negou possibilidade de que a instituição feche as portas

 

O reitor se manifestou após funcionários, professores e alunos fazerem um ato na manhã desta quarta-feira (13). O grupo fez um “abraço” dentro do campus da Unimep pedindo melhorias na condição de trabalho e o restabelecimento do sistema intranet.


O Instituto Educacional Piracicabano (IEP), entidade mantenedora da Unimep, é ré em ação movida pelo Ministério Público Federal (MPF), que pede a reinstalação do sistema, alterado no início do semestre e que causou problemas para a comunidade acadêmica.


Segundo Josgrilberg, desde que ele assumiu a reitoria da universidade, após a demissão de Marcio de Moraes, a universidade trabalha na formulação do planejamento orçamentário da Unimep, que não existia na instituição. Atualmente, o orçamento da universidade estaria equacionado, mas dívidas passadas que precisam ser quitadas estão desequilibrando as contas da instituição.


“A gente trabalha com a perspectiva de manutenção do número de alunos, mas precisa ser feito um ajuste da despesa de pessoal de 15%, isso para termos um ano de 2018 com menos sobrecarga.“É uma situação angustiante, mas é necessária”, afirmou Josgrilberg.


 

O reitor afirma ainda que a situação econômica do Brasil tem influenciado na necessidade de ajustes financeiros, o que não é exclusividade da Unimep, e outras instituições do país enfrentam o mesmo problema. Josgrilberg disse que a perspectiva nos últimos dois anos era de redução no número de alunos, mas a previsão para 2018 é de que a Unimep consiga manter o mesmo número de estudantes, o que impede uma crise financeira maior.


“Como a dinâmica dos cursos é muito volátil, na primeira versão [da peça orçamentária], feita com base na previsão de matriculados nos cursos diretos, havia indicativo de redução de despesa de pessoal por universidade [da rede].”

Caso as demissões se confirmem, o corte inclui funcionários de todos os setores da instituição, e não somente do corpo docente. Se a mantenedora acatar a peça orçamentária, pela convenção coletiva de trabalho, as demissões têm que acontecer até o último dia útil do recesso escolar.


“O que é importante deixar claro é que isso não é uma estratégia de sucateamento da universidade, é uma situação contingente, que de alguma maneira reflete os ciclos econômicos do Brasil, mas é um ajuste feito para que a universidade continue a crescer no ano que vem. Nós vamos abrir novos cursos, então a perspectiva é de novas contratações, não de mais demissões.”


 

Novos cursos


 

O anúncio de novos cursos pela Unimep feito pelo reitor nega a possibilidade de que a instituição feche as portas no ano seguinte. Segundo Josgrilberg, a universidade já teve a autorização para abrir o curso de medicina veterinária e odontologia no campus de Piracicaba – a Unimep já oferece o curso no campus de Lins (SP).


“A intenção é iniciar janeiro reunindo a comunidade de alunos, docentes e funcionários pra revisarmos o planejamento da universidade para os próximos três anos. Pra termos clareza de como vamos caminhar dentro do plano de ação, dentro de um orçamento que precisa ser acompanhado. Mas eu tenho plena convicção de que em 2018 nós continuaremos a honrar a história da Unimep”, afirmou o reitor.

 

Fonte:G1