Servidora da Prefeitura de Rio das Pedras leva pedrada durante protesto

Servidora da Prefeitura de Rio das Pedras leva pedrada durante protesto

Por Roberto 11/08/2016 - 17:30 hs

Servidora da Prefeitura de Rio das Pedras leva pedrada durante protesto
Protesto de servidores contra falta de pagamento em Rio das Pedras Imagens: Marina Capucim

Uma funcionária da Prefeitura de Rio das Pedras (SP) levou uma pedrada na cabeça durante  protesto de servidores municipais (SP) nesta quinta-feira (11). Ela foi socorrida e encaminhada para unidade de saúde do município. O motivo da manifestação, que segundo a categoria reuniu 400 pessoas até as 12h, é o parcelamento dos salários dos trabalhadores e o não oferecimento dos benefícios. A administração afirmou que a mulher teve alta.

Os servidores públicos disseram que a pedra foi atirada do prédio da Prefeitura, mas a administração municipal nega a acusação dos trabalhadores. A Polícia Militar esteve no local e estimou presença de 200 pessoas na manifestação.O bombeiro João Paulo Joia, que estava de folga, mas tinha itens de primeiros-socorros no carro, socorreu a funcionária ferida e a encaminhou para o pronto-socorro do município. "Como o corte foi na cabeça, sangrava muito. Ela foi consciente para o hospital", relatou.

De acordo com a Prefeitura de Rio das Pedras, os servidores receberam 40% do salário referente a julho no dia 5 de agosto. Outros 40% do valor das remunerações deverá ser pago ainda nesta quinta, segundo a administração. Uma reunião entre o sindicato da categoria e a Prefeitura definirá a data de pagamento do restante.

O vale-refeição dos professores da rede municipal de ensino não tinha sido depositado até esta quinta e, por isso, os docentes decidiram entrar em estado de greve. No dia 8 de agosto, os servidores já tinham se reunido em frente ao prédio da Prefeitura para cobrar posicionamento sobre atraso no fornecimento dos benefícios e salários.

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) também está atrasado desde 2015, segundo os funcionários.

 

Fonte: G1