Thiago Assis entrega armas não letais para a Guarda Civil Municipal

Thiago Assis entrega armas não letais para a Guarda Civil Municipal

Por Roberto 09/01/2018 - 19:01 hs

Thiago Assis entrega armas não letais para a Guarda Civil Municipal
Arma não letal entregue para a Guarda Municipal de Monte Mor
O prefeito de Monte Mor, Thiago Assis, acompanhado do secretário municipal de Segurança Adelício Paranhos, entregou nesta terça-feira (dia 9) para a corporação da Guarda Civil Municipal as duas primeiras armas não letais que liberam descarga elétrica para incapacitar o alvo.

Os equipamentos foram adquiridos para reforçar o armamento da corporação no combate ao crime. “Nosso mandato vem sendo marcado pelos importantes investimentos na Guarda Civil Municipal. Afinal, em 2013, a corporação contava apenas com uma viatura em funcionamento. Hoje temos uma frota com sistema de comunicação digital, base comunitária de segurança no Jardim Paviotti, sistema de monitoramento que está em fase de testes e, agora, a compra de armas não letais para não colocar a vida de pessoas em risco. Com esses investimentos e ações, no ano passado, nossa cidade foi apontada pela revista Exame como uma das 20 cidades com melhor índice de segurança do Brasil e nós queremos avançar ainda mais”, destacou o prefeito Thiago.

De acordo com o secretário municipal de Segurança, Adelício Paranhos, os equipamentos, o que há de mais moderno no mercado de armamentos não letais, irão colaborar com a segurança dos moradores. “Por determinação do nosso prefeito Thiago, tudo que venha em prol da nossa corporação em busca de aumentar a segurança da comunidade montemorense, faremos. Tanto é que antes de adquirir os armamentos um dos nossos guardas fez treinamento de como manusear a arma não letal, se tornando agente multiplicador dentro da nossa corporação. As armas chegaram e já serão utilizadas no trabalho ostensivo”, explicou Paranhos.


SPARK


A arma não letal dispara um dispositivo elétrico incapacitante que emite pulsos elétricos que atuam sobre o sistema neuromuscular, causando desorientação, contrações musculares e queda do indivíduo, permitindo a incapacitação temporária do agressor. O disparo é realizado por meio do acionamento do gatilho, que ao ser pressionado permite que o dispositivo emita pulsos elétricos por um período de aproximadamente 5 segundos. “Toda vez que a arma não letal é acionada ela faz o registro de dados. Portanto, nossa Secretaria de Segurança saberá exatamente quando ela foi usada e em quais situações a partir do relatório”, finalizou Paranhos.